1 de jul de 2016

Quase Nunca Sobre Você

É tão estranho saber que você ainda é alguém que faz meu coração acelerar, saber que ainda é você que tira o meu folego só ao passar por mim, e é tão estranho o sorriso que me preenche por apenas um gesto seu, eu sei é estupido, acho que meu cérebro é meio burro quando se trata de você. As vezes eu não sei mais sobre o que escrever, pego meu caderno e passo o dia escrevendo, acabo sempre perdendo o foco do assunto dentro dos meus textos, mas um assunto em comum em todos eles é você, mesmo que seja apenas um ponto pequeno, ainda sim sempre algo sobre você. 
Foto retirada do pexels
Minhas tardes são melhor quando estou distraída em minha rotina, quando estou seguindo minha vida sem pensar em você, sem te ver, sem me importar, as vezes acho que funcionou bem, que o tempo te apagou de mim, mas dai de vez em nunca, você sempre volta, com esse sorriso bobo, olhos tão serenos, com abraços que me sufocam de saudade, é assim que você volta em fragmentos de lembranças que eu penso terem sido destruídas com o tempo. Eu gosto da minha vida, gosto de como ela esta indo bem, com a paz que eu sempre desejei, ainda sim de alguma forma você me afeta, mesmo sem permanecer diretamente na minha vida, de algum modo em algum momento algo me faz pensar em você.

 As vezes, quase nunca eu acho injusto o fato de eu ainda sentir algo quando se trata de você, afinal ta tudo tão bem, não temos mais nada haver um com o outro, nem daríamos certo de qualquer modo, mas ainda sim de vez em nunca eu me pego pensando em como seria ter você na minha vida só mais uma vez, é tudo tão ridículo todos esses pensamentos e sentimentos, que as vezes me pego rindo de tudo isso. Eu sou uma tola, vivo perdida nessa confusão, parece que ando cinco passos a frente, quando se trata de te apagar de mim, e de repente volto dez passos. Eu sou uma tola, como posso pensar em algo que não tem sentido algum? 

Apesar de me afetar, de algum modo já não dói tanto, já não me tira o sono, já não é uma necessidade ver você, ou  pensar em você, de algum modo eu segui em frente apesar de tanta confusão, de algum modo mesmo eu não precisando mais, mesmo não doendo mais, ainda sim você me inspira os melhores textos, os melhores pensamentos, os melhores sentimentos que eu poderia ter. Meus pensamentos sobre você são tão confusos quanto meus textos sobre você, eu digo que penso em ti, que sinto algo quando lembro, mas ao mesmo tempo nada sinto, nada quero de ti.

As vezes, quase sempre eu te superei, quase sempre não sinto mais nada além de saudade do nosso tempo, um tempo que já se foi. Porém quase nunca penso em você, quase nunca não apenas sinto saudades do passado, mas de um presente que poderia existir, mas não existe. Quase nunca eu te vejo, quase nunca me dói. Quase sempre eu te superei por quase completamente, mas tem esse quase, há esse quase é o que mata, pois sempre sobra um pouco de você guardado nos meus pensamentos mais esquecidos.

2 comentários:

  1. Realmente é o quase que mata a gente. Seu texto é lindo, me identifiquei.
    http://www.falamaya.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse quase maltrata tantas pessoas né?
      Obrigada linda <3

      Excluir